003 – Clínica de recuperação em São Paulo – Hortolândia mista

Problemas com Drogas? Nós temos a solução!

O principal objetivo da 003 – Clínica de recuperação em São Paulo – Hortolândia mista é o de recuperar e socializar o indivíduo com transtornos decorrentes do uso, abuso e dependência de substâncias psicoativas.

003 – Clínica de recuperação em São Paulo – Hortolândia mista está norteada pelo Projeto Terapêutico a seguir, elaborado em concordância com o instituído pelo Marco Regulatório das Comunidades Terapêuticas ,

elaborado de fato por diversos órgãos nacionais especializados na pesquisa e tratamento da dependência do álcool e outras drogas, como a Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas (FEBRACT), além de Confederação Nacional de Comunidades Terapêuticas (CONFENACT), e do Conselho Nacional de Políticas Sobre Drogas (CONAD).

Com apoio de órgãos como a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD), e o Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas (OBID),

alinhados a organismos internacionais, tais como a Federación Latinoamericana de Comunidades Terapéuticas (FLACT), World Federation of Therapeutic Communities (WFTC) e National Institute on Drug Abuse (NIDA).

  1. Acolhimento
  2. Avaliação diagnóstica
  3. Ressocialização
  4. Grupo de Apoio

Práticas inclusivas

• visitas familiares, periodicamente
• contato telefônico familiar;
• grupos de Treinamento de Habilidades Sociais (THS);
• desenvolvimento da função de Orador, falar em público.

Cabe ressaltar que muitas destas atividades não são de caráter obrigatório, principalmente as práticas religiosas, nas quais o acolhido participa por sua escolha, respeitando a individualidade de cada um.

Ressocialização

A última etapa do programa, na 003 – Clínica de recuperação em São Paulo – Hortolândia mista visa sobretudo basicamente o retorno do mesmo ao seu ambiente de convivência externa, seja este o mesmo ambiente anterior ao acolhimento, ou um novo ambiente construído durante as saídas das Fases anteriores, pela família.

A volta progressiva ou definitiva ao mercado de trabalho é um dos principais fatores para operacionalizar esta etapa em que, dependendo do caso, poderá ocorrer no modelo ambulatorial ou através de saídas de longa

duração (até 30 dias) de acordo com as peculiaridades do ambiente de referência, do tipo de vínculo empregatício que o acolhido possa apresentar.

Estas avaliações agendadas poderão sobretudo ocorrer com a presença da família, ou esta poderá ser convocada quando for considerado necessário.

Continua sendo fundamental que durante estas saídas o acolhido e/ou a família mantenham contato telefônico, por e-mail, whatsapp, ou por redes sociais com a equipe de referência,

agora com intervalo máximo de 5 dias, buscando todavia avaliar em conjunto e periodicamente as ocorrências de exposição a situações de risco, assim como os diversos acontecimentos do cotidiano familiar e do ambiente de trabalho, quando for o caso.


É importante salientar que em alguns casos não será possível evoluir para esta Fase, já que a mesma exige um nível de estrutura e organização externa

que nem todos os acolhidos todavia possuem, principalmente os que tenham municípios de origem mais distantes.

Por esta razão esta etapa não se torna indispensável para a conclusão do processo terapêutico de recuperação na 003 – Clínica de recuperação em São Paulo – Hortolândia mista,

porém mostra-se altamente eficaz nos casos em que pode ser implementada.


Nesta etapa todavia, serão realizadas avaliações de acordo com o Guia do Plano de Atendimento Singular com intervalo máximo de 30 dias.

Esta Fase, no entanto, pode-se considerar concluída quando o acolhido:
• mantiver de fato os comportamentos necessários para conclusão das fases anteriores mencionadas.
• compareça aos atendimentos de avaliação ao qual foram agendadas

ATENDIMENTO FAMILIAR O acompanhamento familiar é sobretudo de fundamental importância dentro, inclusive, do processo terapêutico de cada paciente.

Principalmente quando consideramos que todo ele se foca na ressocialização do indivíduo, e que portanto, ocorrerá com menor dificuldade se houver uma família de referência que contribua com o mesmo.


Também pode ser sobretudo solicitada a presença de algum familiar em situações específicas, para que haja além dos atendimentos fora dos dias de visita.

Sobretudo são realizadas palestras sobre assuntos relacionados à dependência química, as Comunidades Terapêuticas, entender o que é de fato Codependência,

e ampliar os laços, estabelecendo confiança mútua nas relações familiares, e outros assuntos de interesse para o processo terapêutico.

4 Grupos de Apoio – 003 – Clínica de recuperação em São Paulo – Hortolândia mista

Os grupos terapêuticos para pacientes em recuperação e familiares onde serão discutidos, e argumentados, sobretudo, todo processo de recuperação, além de exposição dos valores familiares, sociais econômicos.

O intuito é gradativamente ir resgatando o sentimento as emoções para o convívio reduzindo chances de recaídas.