Saiba como é o tratamento para dependentes de crack em clínicas de recuperação / reabilitação SP?

Aqui no Brasil temos um um dos maiores números de pessoas que consomem de drogas no mundo. A conhecida cracolândia que fica localizada na cidade de São Paulo, é um local que infelizmente traduz essa realidade que o país vive. Para se ter uma ideia, segundo a Confederação Nacional de Municípios, 96% das cidades brasileiras têm problemas relacionados ao uso de crack. Por isso, o tratamento para dependentes de crack precisa receber a importância que merece.

Se você tem um problema com álcool ou drogas na sua família que envolve o consumo de crack, continue acompanhando este artigo que é importante. A seguir, você vai entender bem melhor os sintomas de um dependente dessa droga quem vem acabando com milhares de pessoas em São Paulo, no Brasil e ao redor do mundo, conhecer a importância do apoio familiar tratamento da dependência química e do alcoolismo, saber como funciona essa desintoxicação e os passos para o controle da dependência.

Os sintomas apresentados na maioria das vezes por um dependente de crack

O primeiro passo para ajudar no tratamento de reabilitação de um usuário é diagnosticar seu vício. Nesse momento, a família e os amigos próximos são essenciais para perceber os sinais da doença e começar a tomar uma atitude. Abaixo, você confere alguns desses sintomas:

  • A mudança nas amizades é facilmente identificada;
  • Evitar a família e o convívio com as pessoas queridas;
  • Uso descontrolado do dinheiro;
  • Sinais de depressão profunda, impaciência e inquietação;
  • Episódios de agressividade sem causa aparente;
  • Negligências com muitos compromissos, como faltar às aulas constantemente ou ao trabalho.

Veja também:

•13 opções de clinicas de reabilitação em São Paulo

•Preço de clínicas de reabilitação em São Paulo

A importância da família no diagnóstico e no tratamento do paciente dependente

A família e as pessoas próximas do dependente de crack ou outras drogas têm um papel muito importante, que vai desde o diagnóstico e se estende por toda a vida do tratamento. É importante lembrar, primeiramente, que a dependência química assim como o alcoolismo não é algo que se cura, mas é um tratamento para o restante da vida da pessoa portadora da doença. O sucesso do paciente é devido à vontade da própria pessoa em se curar e do apoio que ela recebe da sociedade.

É a família que vai observar os sintomas da doença e da recaída geralmente — que muitas vezes não são detectados pelos próprios usuários, pois não querem encarar sua realidade como ela se apresenta. Pais, mães, irmãos, amigos e outros familiares têm o papel de abordar sutilmente e de ter a paciência necessária para esperar que o dependente tenha vontade de se curar. Por outro lado, precisam ter pulso firme, também, na hora de decidir que o indivíduo precisa de uma internação involuntária.

Durante o tratamento, também de suma importância que a família  do dependente químico esteja bem estruturada emocionalmente para dar suporte, já que são comuns os episódios de recaída, baixa autoestima e aquela sensação de que não conseguirá. Com o crack, que é uma droga altamente viciante e perigosa para a saúde, é preciso ter muito cuidado e se dedicar para ajudar a dar forças quando for preciso.

Os malefícios do vício do crack na questão da saúde

Em linhas gerais, a composição desta droga chamada crack é: pasta de coca, bicarbonato de sódio e água. Mas também é preciso contar as misturas que podem ser feitas, que podem levar gasolina, amônia, água de bateria e querosene. Ou seja, o consumo dessa substância é mortal e extremamente viciante, já que os usuários emendam uma pedra na outra em casos de vícios extremos.

O consumo de toda essa matéria contida no crack pode causar danos gravíssimos no corpo todo, que vão desde lesões cerebrais e psicológicas irreversíveis, até doenças no coração, nas vias respiratórias, na circulação, pulmões e no aparelho digestivo. A pessoa emagrece muito, não come quando está no uso geralmente e chega a um estado onde só usa a droga. Por isso, o quanto antes agirmos na luta contra o crack, mais chances de salvar a vida dos dependentes.

Como funciona o tratamento para dependentes de crack em clínicas de recuperação / reabilitação

O tratamento é um longo caminho que dura a vida toda e geralmente começa em uma clínica de reabilitação / recuperação em um tratamento de 6 meses.

Programa Terapêutico do tratamento das clínicas de reabilitação / recuperação para dependentes químicos:

1ª fase: Acolhimento do dependente químico
Nesta fase o objetivo é Acolher o recém chegado na clínica, orientar e conscientizar para que haja uma adaptação e aceitação adequada para a reabilitação física do residente.

2ª fase: Desintoxicação do dependente químico – Reabilitação Mental e Emocional
Na fase da desintoxicação do dependente na clínica de recuperação para dependentes químicos, levando em conta a obsessão e a instabilidade do paciente emocional e psicológica que são aspectos da dependência química, busca a reestruturação emocional e mental. Nesta fase o dependente químico ou o alcoólatra vai buscar através das técnicas terapêuticas oferecidas o contato consciente com suas maneiras equívocas de pensar e seus sentimentos confusos, percebendo através disso os horríveis efeitos de sua atual condição emocional e mental. A partir do momento em que o residente perceber a necessidade da sanidade emocional, mental e espiritual, onde através do nosso trabalho motivacional vai proporcioná-lo a autonomia necessária para o início do processo da sua reabilitação,

3ª fase : Resgate e Práticas de Valores Éticos, Morais e Espirituais do paciente dependente químico
Estando o dependente químico no processo de reabilitação na clínica ele vai automaticamente concretizando tais mudanças, conseguindo portanto resgatar a prática de seus valores éticos, morais e espirituais, reformulando completamente seu quadro psíquico, conseqüentemente o seu comportamento.

4ª fase: Auto Aceitação e Autoconhecimento (processo muito importante na clínica de recuperação / reabilitação)
A partir do momento em que o dependente químico ou o alcoólatra apresenta um novo quadro psico-comportamental ele entra na fase em que seu processo de recuperação / reabilitação tem um aperfeiçoamento, por isso, nesta fase o objetivo é prepará-lo para retornar à sociedade, por meio de um processo de auto aceitação e autoconhecimento, recuperando seu bem estar biopsicossocial, ou seja, melhor qualidade de vida através do corpo, da mente e do meio social, além do fortalecimento de vínculos familiares do dependente químico.

5ª fase : Prevenção a Recaída do paciente portador da dependência química
Nesta fase leva-se em conta a grande importância de atividades para a conscientização de fatores que levam a possível recaída.

6ª fase: Pós-Tratamento

Um dependente químico ou um alcoólatra tem que viver sempre em alerta e se manter longe de tudo o que pode levá-lo a uma recaída. O tratamento inicial, porém, tem algumas etapas.

Diagnóstico médico da dependência química

Normalmente, o tratamento de reabilitação do paciente começa quando algum profissional da saúde faz o diagnóstico de uso abusivo de drogas. O dependente, por sua vez, precisa ter vontade para sair do vício, já que não é uma etapa fácil de ser vencida.

Tendo o diagnóstico clínico de um profissional, é hora de procurar uma clínica de reabilitação de confiança para saber detalhes sobre a internação e como funciona o processo de tratamento para aquele caso específico. É muito importante procurar um estabelecimento ideal e que tenha uma equipe multidisciplinar bem capacitada capaz de atender as necessidades do paciente portador desta doença que não é fácil de ser tratada.

Desintoxicação e exames

Normalmente, são feitos alguns exames para entender como está a saúde física do dependente e se ele precisa de algum tratamento de saúde sério em paralelo ao processo de desintoxicação e reabilitação, que acontece já na clínica de recuperação / reabilitação. Nesse processo de livrar o corpo da droga, são usados alguns remédios para aliviar as crises de abstinência agudas, que podem ser muito fortes no início do tratamento.

Como o crack é uma droga que age muito rápido no organismo, os dependentes químicos já são levados para a clínica de reabilitação, normalmente, em estágios avançados do vício, o que pede mais atenção no processo de desintoxicação e o torna indispensável.

Tratamento de recuperação na clínica

Com uma equipe de psicólogos, médicos especializados de diferentes especialidades e outros profissionais da área da saúde, o processo de recuperação na clínica vai depender de alguns fatores importantes, que sempre envolvem a vontade e a resposta do paciente internado na unidade. É bem importante, durante o período de internação, que o dependente participe de grupos com pessoas que têm história de sucesso semelhante para se inspirar a seguir o mesmo caminho.

É muitíssimo importante viver um dia após o outro, conquistar e comemorar, vivenciando cada vitória e ter bastante paciência para passar pelas crises de abstinência mais pesadas e possíveis recaídas que podem ocorrer a qualquer momento.

A saída da clínica de recuperação e início de uma nova vida sem drogas

Quando os profissionais do corpo clínico decidem que o dependente está pronto para voltar à vida em sociedade, ele é liberado do tratamento. Nesse momento, começa uma nova vida: é hora de adquirir novos hábitos saudáveis, estabelecer uma rotina de trabalho, de prática de exercícios e de viver rodeado de pessoas que apoiam essa fase de libertação.

O tratamento para os dependentes desta droga chamada de crack é praticamente em uma luta eterna de dia após dia, mas que pode ter seus pontos mais críticos amparado por profissionais e clínicas especializadas, que têm toda a estrutura para lidar com todas as fases desse processo. Por isso, é importante pesquisar bem e escolher um local onde o dependente será amparado em todos os aspectos.

A Bella Clinic pode ajudar seu familiar com toda a estrutura que ele precisa. Entre em contato conosco e conheça o nosso trabalho!

Confira:

Unidades

Leave a Comment