Tratamento para dependentes químicos e alcoólatras critérios

Por que devemos buscar a internação de um dependente
químico/alcoólatra? – Clinica de recuperação involuntária em SP – Clinica de reabilitação involuntária em São Paulo

Reconhecida pela Organização Mundial da Saúde como uma doença
crônico-progressiva e que afeta não só a pessoa que faz uso
abusivo de drogas , mas também toda a família e o meio em que

esta convive , a dependência química , a nível mundial vem
crescendo de forma assustadora. Como também é uma doença
multifatorial , torna-se imprescindível que vários aspectos

psicosociais sejam observados para a elaboração de um
tratamento que atenda o paciente , e os mais próximos envolvidos
,dentro da real necessidade. O diagnóstico psicológico baseia-se em

farto material cientifico , com conhecimento profundo do tema , é o
primeiro , e fundamental , passo para o processo de cura. São
observados , também , os aspectos biológico e/ou clínico para

avaliar os prejuízos que o corpo sofreu com o uso dessas
substancias e que ,em muitos casos , não são poucos os danos.
A internação de uma pessoa dependente é necessária quando há

intoxicação aguda ou crônica e , por conseqüência , ela já não tem
condições de tomar decisões coerentes ou , mesmo , cuidar de si
nas coisas mais corriqueiras , como higiene pessoal e alimentação.

Também é indicada quando há dificuldade em manter-se abstênio
da droga/álcool , gerando desgaste emocional na família , que fica
refém da incerteza e sem saber como ajudá-lo em casa.

Consideramos , ainda , as situações que coloquem em risco a
segurança da pessoa e daqueles com quem convive , devido à falta
da droga ou , não raro , do seu envolvimento com o tráfico.

Veja abaixo , algumas situações que exigem atenção e a internação
do dependente químico/alcoólatra:


 Riscos de suicídio ou homicídio;
 Dificuldade de manter-se em abstinência durante o tratamento
ambulatorial/casa;
 Complicações de saúde , como problemas cardíacos
,hepáticos;
 Crises de abstinência severas;
 Estados psicóticos , alucinações , mania de perseguição,
 Risco de “overdoses” acidentais ou intencionais e
 Necessidade de ambiente estruturado para promover as
mudanças necessárias em seu estilo de vida.

O tempo da internação dependerá de cada caso , bem como do
grau de evolução da tolerância. O tratamento da dependência
química , mediante diagnóstico médico individual , uma vez que ela

pode ter as mais diversas origens . O tempo necessário para
internações podem ser de 15 ou 28 dias , 30 , 45 e 60 dias e , nos
casos mais graves , de seis meses a um ano. Alguns fatores serão

determinantes para traçar esse período de internação , como idade
do paciente , o tempo de consumo , a substância utilizada , sua
quantidade e frequência e , ainda , o comprometimento do

organismo e do psicológico. A internação deve ser restrita ao
período de crise e o mais breve possível , evitando que o paciente
em tratamento se afaste por completo do meio social. Ressaltamos

que o apoio incondicional da família e dos amigos , somado a um
grupo clínico multidisciplinar capacitado , contribui muito para que
os resultados da internação sejam satisfatórios. Porém , devemos

lembrar que o comprometimento do dependente em alcançar uma
recuperação duradoura , é o fator principal.

Conclusão

Se você estiver passando por essa situação delicada , consulte-nos.
Podemos te ajudar a encontrar a melhor solução custo-benefício e
bem próxima a você.